quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Zueira institucionalizada em Curitiba

Eu apoio a zueira. 


A cidade de Curitiba está conseguindo realizar uma façanha no ambiente digital. A página oficial da Prefeitura de Curitiba no Facebook beira a genialidade. Mas por que tanta rasgação de seda? A comunicação institucional por redes sociais da internet costuma ser chata e muito careta, principalmente quando se trata de um assunto sério, no caso, uma cidade. Algumas marcas já têm o bom humor e a descontração na sua linha editorial, mas o que Curitiba vem fazendo é fantástico. 



[Desconheço outros casos parecidos. Talvez cidades do exterior já tenham experimentado, mas o fato da proposta dar certo na nossa realidade é que precisa ser destacado.] 



A gestão de uma marca segue algumas regras universais, e isto também vale para entidades públicas. A prefeitura de Curitiba ao desenvolver sua estratégia de Facebook soube aproveitar muitos aspectos que o meio oferece. Foi, e continua sendo, um projeto arriscado e com grandes chances de repercussão negativa, mas até agora só vejo frutos positivos. Sem falar na possibilidade de servir como exemplo para outras entidade, como empresas dos diversos segmentos. 



É claro que não existe cidade perfeita. Até mesmo as melhores cidades do mundo têm o que melhorar. E a estratégia de Curitiba está dando certo por saber jogar com os conteúdos. Sem falar na agilidade em responder e interagir com os seguidores da página. Por falta de interesse, não tenho a menor noção de como seja a aceitação da administração municipal para a população. É um ponto importante de ser observado, pois tais ações na web - quando dão certo - ajudam a reverter um cenário negativo, ou ajudam a fortalecer uma imagem que já é boa. 



Navegando pela página, fica evidente que o conteúdo é direcionado para o público jovem. Isto é um tiro certeiro. A maior fatia de usuários do Facebook ainda são os adolescentes e jovens (11 a 30 anos). E o mais importante disto: os jovens estão se interessando pela prefeitura, seja no aspecto administrativo ou por saberem que este é um espaço que pertence a eles. A prefeitura não se resume a um prédio ou a uma pessoa - prefeito. Talvez esse seja o maior saldo que a estratégia venha a conseguir. É difícil de mensurar tal impacto, mas não deve ser esquecido. 



Outro destaque que faço é a habilidade dos administradores da página em equilibrar os temas dos conteúdos. Existe um caráter informativo, de lazer (como na indicação de música para ouvir à noite) e de descontração. É o mais fantástico: sem se esquecer do papel social e transformador dos meios de comunicação. A campanha "Chega de Fiu Fiu" é um dos exemplos. Sem falar na "subversividade" do compartilhamento da música Killing in the name, do Rage Aginst the Machine, como uma das músicas de boa noite. 



A fanpage da prefeitura de Curitiba é um belo exemplo de como é possível ver as coisas pelo lado positivo. Não só na questão política da coisa, mas como um todo. Todos os dias, vemos páginas institucionais que utilizam o Facebook para publicar versões adaptadas de conteúdo de assessoria de imprensa. A internet não nasceu para isto. Existe muita coisa além de falar de si mesmo na web. Os usuários já estão treinados e sabem reconhecer o que é um conteúdo enlatado e o que é algo diferenciado e preocupado com a experiência das pessoas na internet. Viva à zueira institucionalizada. 





Obs.: Faltou falar muita coisa. Outra hora eu volto com o tema para tratar do assunto com mais aprofundamento e embasamento.

Obs².: Quem sabe a prefeitura não queira abrir o jogo e contar alguns detalhes. Não me recusaria a entrevistá-los e fazer um texto mais bacana ou um artigo.

0 mil comentários:

Tecnologia do Blogger.

  © Blogger template Valentine by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP